Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

nilsonborgesnoatleticopr1a

Luto no futebol, Nilson Borges morreu no dia 3 de fevereiro de 2021, na cidade de Curitiba, aos 79 anos de idade.

 

NILSON BORGES ex-ponta esquerda do Atlético Paranaense, Corínthians-SP, Coritiba-PR, Portuguesa de Desportos-SP, América-SP, Juventus-SP, Bahia.

nilsonborgesnoatleticopr1

Nilson Borges nasceu na cidade de São Paulo no dia 16 de dezembro de 1941.

Nilson Borges, o Bocão foi um futebolista brasileiro que atuava como ponta-esquerda.

Iniciou a carreira nos times de base da Associação Portuguesa de Desportos e profissionalizou-se em 1960 no mesmo clube, onde jogou ao lado de Silvio Major, Servilio, Henrique Frade, Dida.

Portuguesa em 1964. Em pé: Ivair, Henrique Frade e Nair. Agachados: Neivaldo e Nilson. Foto da Revista do Esporte, 297, de 1964

nilsonborgesnaportuguesasp1

 

Da esquerda para a direita: Neivaldo, Ivair, Henrique Frade, Nair e Nilson Bocão. Foto enviada por Marcus Rouanet Machado de Mello ao Terceirotempo

nilsonborgesnaportuguesasp4

 

Em pé: Vilela, Augusto, Ulisses, Henrique Pereira, Félix e Edilson. Agachados: Almir, Silvio Major, Ivair, Edson, Nilson Bocão e Mário Américo

nilsonborgesnaportuguesasp5

 

Em pé, da esquerda para a direita: Vilela, Nelson Coruja, Odorico, Ditão, Félix e Juths. Agachados, da esquerda para a direita: Jair da Costa, Silvio, Servílio, Ocimar e Nilson Bocão. Foto: Walter Peres enviada ao Terceirotempo

nilsonborgesnaportuguesasp3

 

A Portuguesa de Desportos no Pacaembu, com a concha acústica ao fundo, à direita. Em pé, da esquerda para a direita: Félix, Henrique Pereira, Ditão, Pampolini, Wilson Silva e Cacá. Agachados: Mário Américo, Neivaldo, Henrique Frade, Dida, Nair e Nilson. Foto enviada por Pedro Carvalho, de Bauru-SP ao Terceirotempo

nilsonborgesnaportuguesasp2

 

No início de 1965, foi para a Europa com o apoio de um empresário português, jogando e treinando no Standard Liège, da Bélgica, e no Sporting, de Portugal.

Porém, não os defendeu  em jogos oficiais, somente em amistosos, pois não chegou a ser contratado por estes clubes. Segundo Nilson contaria, em entrevista de 2015, o empresário pedia valores acima do mercado.

Retornou ao Brasil ainda em meados de 1965 e foi contratado pelo América de Rio Preto e depois pela Portuguesa.

Em 1966, foi para o Corinthians, onde ficou apenas como reserva de Gilson Porto, condição que disputou com Lima.

A foto foi tirada em Ourinhos, no interior de São Paulo. Em pé: Jair Marinho, Marcial, Ditão, Edson Cegonha, Clóvis e Maciel. Agachados: Marcos, Tales, Flávio, Rivellino e Nilson Bocão.

nilsonborgesnocorinthinas1

Depois de disputar apenas seis partidas com a camisa corintiana, foi transferido para o Juventus.

 

E depois foi jogar no Atlético Paranaense em 1968, contratado por Jofre Cabral e Silva.

nilsonborgesnoatleticopr4

 

nilsonborgesnoatleticopr1968

 

No rubro-negro paranaense, jogou ao lado de Djalma Santos, Bellini, Zequinha, Gildo, Durval, Del Vechio, Nair e Zezinho e participou da conquista do Campeonato Paranaense de 1970, que quebrou um jejum de doze anos sem títulos do clube.

nilsonborgesnoatleticopr5

 

 

nilsonborgesnoatleticopr3

 

 

 

Também atuou no Coritiba (1969, no Torneio Roberto Gomes Pedrosa)

nilsonborgesnocoritiba1

 

Em pé: Paulo Vecchio, Berto, Joel Mendes, Nico, Modesto e Augusto (ex-Corinthians). Agachados: Passarinho, Krüger, Rinaldo, Kosilek e Nilson Bocão

nilsonborgesnocoritiba1969

 

Em pé: Paulo Vecchio, Berto, Joel Mendes, Nico, Modesto e Nilo. Agachados: Oromar, Lucas, Paquito, Krüger e Nilson Bocão

nilsonborgesnocoritiba1969a

 

Jogou também no Bahia (1972).

 

E aposentou-se em 1974 no Atlético Paranaense.

Em pé, da esquerda para a direita: Toninho, Júlio, Lori Sandri, Rubens, Lili e Amauri. Agachados: Mazola, Valtinho, Sicupira, Sérgio Lopes e Nilson Bocão. Foto enviada por Fabrícia de Pelegrini ao Terceirotempo

nilsonborgesnoatleticopr2

 

 

Após pendurar as chuteiras, tornou-se funcionário do Atlético, atuando em várias funções do departamento esportivo, incluindo técnico e auxiliar técnico dos times de base e do profissional.

Pela idade, em 2020 foi afastado das atividades em função da pandemia de COVID-19 e neste período, contraiu uma doença, ainda desconhecida, que paralisou as suas pernas.

Nilson Borges morreu no dia 3 de fevereiro de 2021, na cidade de Curitiba, aos 79 anos de idade.

 


Títulos

Campeonato Paranaense de Futebol pelo Clube Atlético Paranaense: 1970

nilsonborgesnoatleticopr3

 

 

 

 

 

 

Publicado por: Murilo Dieguez

 banner5

Fonte de Pesquisa:

Memória FC-Arquivo GRPCOM

wikipedia 

terceirotempo.uol.com.br

globoesporte.globo.com

Historiador Luiz Fernando Evaristo

acervo www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

nilsonborgesnoatleticopr100

 

 

 

"Nilson Borges, você faz parte da história do futebol, e eu Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".