Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

nelsinho10b

 

NELSINHO, ex- meia-esquerda do Comercial de Cornélio Procópio, Olaria, Andiraense, Tupaense, GERA de Apucarana

 

Nelson Alves Dias, o Nelsinho, nasceu no dia 16/04/1933 na cidade de Piraí do Sul no Paraná.

Nelsinho com a faixa de Campeão da Série Norte do Paraná em 1958 pelo Comercial de Cornélio Procópio, e ao lado ele em 2009 em Santo Antônio da Platina.

Nelsinho durante a entrevista exclusiva para Marcelo Dieguez em 2009 em Santo Antônio da Platina.

 

Mudou-se com a família para santo Antônio da Platina, ainda mamando como conta, e começou sua carreira de meia-esquerda nesta cidade ainda como amador.

Depois de algum tempo foi jogar em Andirá no Andiraense, onde também era funcionário da Prefeitura Municipal, ficou muitos anos em Andirá até que veio uma excursão do Olaria do Rio e gostaram dele e foi para o Rio jogar no Aspirante, onde ficou 3 anos jogando o Campeonato Carioca Aspirante.

Abaixo Nelsinho contando sua história para o amigo Marcelo Dieguez.

Lembra que teve a oportunidade de jogar uma partida contra o Garrincha do Botafogo.

Teve oportunidade de jogar no maracanã com todos os times grandes do Rio, no Olaria jogou com o goleiro Valter, Sauí, e com o amigo Loro de Ribeirão do Pinhal.

O Loro ficou doente e era muito amigo dele por ser de sua região, e veio de volta para o Paraná para acompanhar o amigo e não voltou mais para o Rio.


Chegando no Paraná voltou para o Andiraense, onde se profissionalizou e seguiu para Tupã no interior de São Paulo, ficando 4 anos.

Depois foi jogar no GERA de Apucarana, e na sequência de sua carreira foi jogar no Esporte Clube Comercial de Cornélio Procópio, onde teve os melhores momentos de sua carreira, sendo Bi-Campeão da Série Norte do Paraná 1958/1961 e Campeão Estadual do Paraná em 1961.


Na sua estréia no profissional pelo time de Andirá foi em uma grande partida onde venceram por 9 X 0.

No Comercial jogou com grandes jogadores, como: Gibi, Dirceu Funari, Vitão, Arnoldo, Bocage, Pedrinho, Garoto, Silvinho, Joãozinho, Chuvisco, Torquato, Baltazar.

Abaixo outra foto do Comercial recebendo uma premiação de um empresário da cidade, e a escalação é a seguinte: Em pé: Américo, Marinho, Nelsinho, Moreira, Dirceu Funari, Badu, Pedrinho e Gibi.

Agachados: Bocage, Silvinho, Joãozinho, Garoto e Chuvisco.

 

 

 

 

E o time do Comercial era um time difícil de ser batido, sendo que no Campeonato de 1961 perdeu poucas partidas. O técnico do time no título de 1961 era o Raimundão, que fora jogador de basquete e conseguiu sagrar-se Campeão Estadual do Paraná.

Abaixo Nelsinho com a faixa de Campeão Estadual do Paraná de 1961 pelo Comercial.


Fez mais ou menos 100 gols em sua carreira, e destes conta alguns lindos gols como no Comercial fazendo gol olímpico na cobrança de escanteio, e outro pelo GERA de Apucarana de bicicleta.

 

 

Aqui outra formação do Comercial, onde vemos em Pé: Arnoldo, Dirceu Funari, Bocage, Marinho, Gibi, Ondino, ? e Pedrinho.

Agachados: ?, Miguelão, Joãozinho, Garoto, Nelsinho, Silvinho e Procópio.

 

Aqui Nelsinho estava contando a Marcelo Dieguez, como fez o gol de bicicleta pelo GERA de Apucarana.


Era um jogador temperamental, e em uma ocasião pelo Comercial fez um gol que o bandeirinha anulou, e ele foi reclamar com ele e deu uma cabeçada nele e foi expulso e suspenso por 1 ano, e foi quando foi jogar em Ivaiporã.

Quando no término de sua suspensão foram buscá-lo de avião pois o Comercial tinha um jogo importante contra o União Bandeirante, e voltou a jogar muito bem.


Uma outra lembrança foi pelo Comercial de um lance importante no campeonato, em que o colega paraguaio Vilanueva pedia a bola para ele, e Nelsinho estava marcado e não conseguia fazer o passe.

Vilanueva disse:"deste jeito não dá, não temos meio-campo no time".

Nelsinho ficou bravo e passou uma bola açucarada para o paraguaio que fez o gol e saiu dizendo:

" temos o meia-esquerda melhor do mundo."


Seus ídolos no futebol foram Pelé e gostava muito do colega Arnoldo do Comercial.


Nelsinho concedeu entrevista em sua casa em Santo Antônio da Platina em 2009 e deixou um abraço a todos os amigos que fez no futebol.

Aqui Nelsinho feliz contando a história do passe que fez para o paraguaio Vilanueva fazer o gol.

 

 

 

 

 

Publicado por: Murilo Dieguez

 banner5

Fonte de Pesquisa:

Entrevista exclusiva de Nelsinho para O Historiador do Futebol

acervo www.historiadordofutebol.com.br

 

 

 

"Nelsinho, você faz parte da história do futebol, e eu seu amigo Marcelo Dieguez não vou deixar sua história ser esquecida".