Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

LUIZINHO MESQUITA, ex-atacante do Anglo-Brasileiro-SP, Clube Atlético Paulistano-SP, São Paulo da Floresta-SP, Clube Atlético de Estudantes-SP, Palestra Itália-SP, São Paulo Futebol Clube-SP, Seleção Acadêmica Nacional e Seleção Brasileira.

 

Aqui Luizinho com a camisa do São Paulo Futebol Clube em 1944, quando ele foi o artilheiro do Campeonato Paulista.

Foto= Rogério Michailev

 

Luís Mesquita de Oliveira, o Luizinho, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 29 de março de 1911.

Considerado o melhor ponta-direita brasileiro da década de 30, participou das Copas do Mundo de 1934 e 1938.

Embora carioca, Luizinho fez carreira no futebol de São Paulo.

Veloz, driblador, precisão nos cruzamentos, chutes potentes e com direção, Luizinho começou no Anglo-Brasileiro em 1928, onde ficou até o ano seguinte, quando assinou com o Clube Atlético Paulistano.

Foto= esquadroesdofutebol.blogspot.com

 

E abaixo a mesma foto do São Paulo da Floresta de Luizinho.

Foto= caixapretafc.wordpress.com

 

Sagra-se campeão paulista em 1931.

Abaixo o Time do ano de 1932:

Foto= saopaulindas.spfc1935.com.br

Jogou no São Paulo da Floresta durante quase toda a existência do clube, entre 1930 e 1934.

Luizinho além de futebolista era estudante, como muitos jogadores de todos os times.


Em 1932 Houve o Campeonato Acadêmico de Futebol para os jogadores que também eram estudantes no Rio de Janeiro, patrocinados pelo Jornal dos Sports, entre 8 Escolas Superiores, sendo que o time da Medicina E Cirurgia venceu o Time de Direito.

E o sucesso do Campeonato Acadêmico foi tão grande que o Jornal dos Sports resolveu patrocinar outro Campeonato Acadêmico, a ser realizado na Argentina e no Uruguai, na Bacia do Prata.

Então a partir dali do Rio de Janeiro com estes jogadores e estudantes, juntaram-se a muitos de São Paulo e Minas Gerais que formaram a Seleção Acadêmica Nacional e foram disputar jogos preparatórios para irem para Bacia do Prata, na Argentina e depois Uruguai, jogar contra Times Profissionais.

E Luizinho seria convidado para fazer parte deste Campeonato.

E o Sr. Tenório Albuquerque que era Diretor de Esportes do Jornal dos Sports, e que estava diretamente ligado no Campeonato convidou Duval Ernani de Paula, avô de Marcelo Dieguez, para que fizesse parte da excursão para o exterior como Diretor do futebol, tendo ele aceitado prontamente.

E fizeram a Seleção Acadêmica juntando jogadores do Rio, São Paulo e Minas Gerais.

Fizeram vários amistosos preparatórios com grandes clubes como Fluminense, Flamengo, Combinado Fla-Flu, Vasco, Palestra Itália (MG), Nova Lima (MG), Santos, São Paulo e Corinthians.

Duval Ernani de Paula, avô de Marcelo Dieguez

Nestes 2 últimos jogos houve história especial, pois contra o São Paulo de Friedenreich que eram os vice-campeões de SP acabaram perdendo por 2 X 0, e Friedenreich saiu com uma fratura no Nariz após uma trombada com o zagueiro Nariz (Atlético Mineiro), que estava jogando pelos Acadêmicos.

E no jogo contra o Corínthians que era o Campeão Paulista, havia saído nos jornais que os Acadêmicos eram fracos, e então Duval Ernani de Paula teve papel importante, pois encontrou na banca de jornais a amiga e atriz Lia Torá, que era esposa do Diretor de futebol do Fluminense, e convidou-os para ir ao Hotel em que os Acadêmicos estavam e para assistir ao último jogo.

Duval Ernani de Paula disse a Nariz que trazia Lia Torá para ver ele jogar, pois diria que ele era um dos melhores zagueiros do Brasil.

Resultado Acadêmicos 4 X 1 Corínthians, em uma atuação soberba de Nariz e Vicentino do Flamengo fazendo os 4 gols dos Acadêmicos. No outro dia nos jornais diziam Nariz venceu o Corinthians.

Lia Torá e o marido convidaram os Acadêmicos para jantar no hotel em que a atriz se encontrava hospedada.


A viagem para a Argentina e Uruguai aconteceu em 1933, foram de navio levando muitos jogadores do Rio, São Paulo e Minas, e Lia Tora foi ser a madrinha do futebol e seu esposo foi o padrinho do futebol.

Abaixo o Jantar em comemoração à viagem para a Bacia do Prata na Argentina, para os jogos da Seleção Acadêmica, contra times profissionais na Argentina e Uruguai.

Acima o Jantar em comemoração à viagem, e reconhecemos Duval Ernani de Paula, bem de frente na mesa do centro olhando para a foto, com ele de frente e também olhando é o Nariz, que jogava ainda no Atlético Mineiro, infelizmente não dá para reconhecer muitos jogadores.

Foto=www.historiadordofutebol.com.br


Venceram algumas partidas e perderam outras, mas a experiência foi sensacional de jogar no exterior contra times profissionais, pois lá já estava em pleno funcionamento o regime profissional.

Abaixo a Seleção Acadêmica Brasileira no jogo contra o San Lorenzo de Almagro da Argentina, e a escalação é a seguinte, em pé da esquerda para a direita: J.N.I., Luizinho, Almir, Nariz, J.N.I., J.N.I., J.N.I.(atrás), Cássio, J.N.I. (atrás), J.N.I., Fernandinho, J.N.I., J.N.I. e Sr. Tenório Albuquerque (Jornal dos Sports);

Sentados e agachados: J.N.I., J.N.I., J.N.I., mascotinho, Vicentino, Victor e Elóy.

Foto=www.historiadordofutebol.com.br

 

A Seleção Acadêmica contava com jogadores como: Nariz (Atlético Mineiro),Luisinho (São Paulo), Ivan(Fluminense), Paulinho (Botafogo), Victor (goleiro Botafogo), Fernandinho, Elói, Cássio e Vicentino (todos do Flamengo), De Mori (Fluminense), etc.

Em 1934 defende a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1934, atuando na partida em que o Brasil perdeu para a Espanha em Gênova por 3 a 1.

Foto= toque-esportivo.blogspot.com

Após a falência do São Paulo da Floresta, foi atuar pelo Clube Atlético Estudantes de São Paulo (criado por antigos membros do São Paulo da Floresta) em 1935.

Em 1936 iniciou sua trajetória no Palestra Itália, atual Palmeiras, onde ficou até 1940.

Foto= palavra-acesa.blogspot.com

 

Em 1936 sagrou-se campeão paulista.

Foto= palmeirasonline.com

Em 1937 disputou o Campeonato Sul-Americano (atual Copa América) pela Seleção Brasileira na Argentina.

O Brasil sagrou-se vice-campeão do torneio e Luizinho foi o artilheiro do Brasil ao lado de Patesko, com quatro gols.

Em 1938 foi novamente convocado para a Seleção Brasileira para a disputa da Copa do Mundo de 1938, na França.

E abaixo a foto mais rara de todas, é um jogo treino da Seleção Brasileira para a Copa de 1938, acreditamos ser na Bahia, e identificamos alguns jogadores: Em pé aparecem da esquerda para a direita: Nariz, Luizinho, J.N.I., Brandão, Afonsinho e Ademar Pimenta (Técnico).

Agachados: Walter, J.N.I., Hércules amarrando as chuteiras, J.N.I., Leônidas da Silva e Perácio.

Foto= Gabriela Miranda neta de Hércules que enviou esta relíquia! e que também está na História de Hércules!!!

Disputou duas partidas, contra Tchecoslováquia e Itália.

O Brasil terminou em terceiro lugar naquela Copa do Mundo.

Em 1940 volta a sagrar-se campeão paulista pelo Palestra Itália.

Foto= terceirotempo.ig.com.br

Jogou ao todo no Palestra Itália 163 partidas, marcando 123 gols.

Foto= duelodecraques.blogspot.com

 

Em 1941, Luizinho passa a jogar pelo São Paulo Futebol Clube.

Foto= saopaulofc.net

Malandro, antes do início das partidas, ele chamava a atenção dos zagueiros adversários para o perigo que Leônidas representava.

Com as preocupações voltadas para o companheiro, Luizinho jogava mais solto.

Luizinho tinha o hábito de ficar treinando cabeçadas, fingindo que a porta aberta do vestiário era o gol.

Foto=terceirotempo.ig.com.br

Em 1943 sagra-se campeão paulista pelo Tricolor.

 

Em 1944 atua pela última vez pela Seleção Brasileira, num amistoso contra o Uruguai, no Pacaembu, vencido pelo Brasil por 4 a 0.

Disputou ao todo 18 partidas pela Seleção Brasileira, marcando 5 gols.

Foto= palavra-acesa.blogspot.com

 

Ainda em 1944 sagrou-se artilheiro do campeonato paulista, com 22 gols.

Em 1945 e 1946 sagra-se bi-campeão paulista pelo São Paulo, atuando como capitão do time.

Foto= palavra-acesa.blogspot.com

 

 

Permanece atuando pelo São Paulo até o fim de 1946, ano em que encerra sua carreira futebolística, após disputar 135 jogos e marcar 96 gols pelo clube tricolor.

Luizinho morreu em 27 de dezembro de 1983, em São Paulo, aos 72 anos.

 

 

 

 

Publicado por: Murilo Dieguez

 banner5

Fonte de Pesquisa:

acervo www.historiadordofutebol.com.br;

palavra-acesa.blogspot.com/2011/03/luizinho-mesquita.html;

Rogério Michailev;

Gabriela Miranda;

terceirotempo.ig.com.br;

spfc.net;

duelodecraques.blogspot.com;

toque-esportivo.blogspot.com;

saopaulindas.spfc1935.com.br;

 

 

 

 

"Luizinho, você faz parte da história do futebol, e eu Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".