Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 vadao1

 

 

Aos 63 anos, treinador estava internado em São Paulo desde a semana retrasada, e morreu vítima de câncer

Morreu no início da tarde desta segunda-feira Oswaldo Alvarez, o Vadão, ex-técnico da seleção brasileira feminina de futebol e com passagens por São Paulo, Corinthians, Guarani, Ponte Preta, entre outros.

 Vadão foi diagnosticado com a doença em dezembro do ano passado e, desde então, vinha realizando tratamento e estava internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo. O quadro do ex-treinador era considerado grave após a quimioterapia e radioterapia. Ele deixa a esposa Ana Alvarez e dois filhos, Adriano e Carolina Alvarez.

O velório e sepultamento acontecerá em Monte Azul Paulista, sua terra natal.

vadao1

Histórico

Oswaldo Fumeiro Alvarez, o Vadão  nasceu no dia 21 de agosto de 1956. Ele começou a sua carreira como meia-esquerda nas categorias de base do Guarani e rodou por clubes como Noroeste, Catanduvense e Botafogo, de Ribeirão Preto (SP).

No profissional, passou por Paulista, Velo Clube e Capivariano.

vadao2

Ao mesmo tempo, ele se formou em Educação Física e acabou aceitando o convite para ser preparador físico da Portuguesa.

Mas foi à beira do campo, como treinador, que ele fez o seu nome, sempre com a história muito ligada ao futebol do interior paulista. A começar pelo primeiro grande trabalho.

vadao4

 

 

Vadão ganhou destaque com o "Carrossel Caipira" no Mogi Mirim, onde ajudou a projetar Rivaldo, Leto e Válber também eram outros símbolos daquele time que se inspirava na Holanda de 1974, com o esquema 3-5-2.

 vadao5

 

 

Não só pela origem no Mogi Mirim, Vadão teve carreira marcante em clubes do interior paulista, especialmente a dupla de Campinas - Guarani e Ponte Preta. Pelo Bugre, foi vice-campeão da Série B de 2009. Na Macaca, teve quatro passagens e é considerado ídolo.

O técnico ainda comandou Guarani, XV de Piracicaba, Athetico-PR, Corinthians, São Paulo, Ponte Preta, Bahia, Goiás, Sport, dentre muitos outros. Ele foi campeão do Torneio Rio-São Paulo em 2001 pelo São Paulo com um time jovem e que tinha como destaque o meia Kaká, lançado por ele aos 16 anos.

vadao3

 

 

Foi vice-campeão brasileiro da Série B em 2009 e vice do Campeonato Paulista pelo Guarani em 2012. Ele teve cinco passagens pelo clube de Campinas, em um total de 204 jogos. Foi Campeão paranaense pelo Atlético Paranaense no ano 2000.

Com Vadão, o São Paulo foi campeão do Torneio Rio-São Paulo de 2001, na final contra o Botafogo, que marcou o surgimento de Kaká.

Vadão teve duas passagens pela seleção feminina. Na primeira, entre 2014 e 2016, alcançou o quarto lugar nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

vadao6

Na segunda, mais conturbada pela rotina de derrotas - chegou a acumular 10 derrotas em 11 jogos. Ele fora reconduzido ao cargo para substituir Emily Lima, mas não conseguiu fazer a equipe jogar bem. No Mundial feminino de 2019, o Brasil foi eliminado pela França nas oitavas de final. Vadão foi demitido da seleção para dar lugar a Pia Sundhage.

A CBF se pronunciou em nota: "A CBF e a família do futebol lamentam o falecimento do técnico Oswaldo Alvarez. Profissional leal, nunca mediu esforços no exercício da função e trouxe resultados fundamentais para a seleção feminina. O futebol brasileiro agradece sua contribuição".

 

Publicado por: Murilo Dieguez

 banner5

Fonte de Pesquisa:

acervo www.historiadordofutebol.com.br

globoesporte.globo.com,

 oglobo.globo.com,

istoe.com.br,

www.terra.com.br,

trivela.com.br,

minutoesportes.cadaminuto.com.br,

vadao6

 "Vadão, você faz parte da história do futebol, e eu Marcelo Dieguez, O Historiador não vou deixar sua história ser esquecida".